Fauvismo

 

Apresentação Web realizada para a disciplina de 
Iconologia II 

UFPEL

 

 


     

 

 

 

 


Henri Emile Benoît Matisse


Henri Matisse DANCE (II) - 1910 óleo sobre tela - 260 x 389 cm. Hermitage, Saint Petersburg

Henri Emile Benoît Matisse nasceu em uma pequena casa de campo de tecelão em ruínas, na rue du Chêne Arnaud na cidade de Le Cateau, às oito horas da noite na última noite do ano, 31 de dezembro de 1869 (Le Cateau -Cambrésis está no extremo norte da França, perto da fronteira com a Bélgica). A casa tinha dois quartos, um chão de terra batida e um telhado com vazamento. Matisse disse muito tempo depois que a chuva caiu por um buraco em cima da cama em que ele nasceu. Antepassados 
​​de Matisse viveram na região há séculos antes das convulsões sociais e industriais do século XIX. Matisse cresceu em um mundo que ainda se mantinha inalterado desde os tempos romanos. A vinda da estrada de ferro tinha colocado Bohain no mapa industrial, mas as pessoas ainda viajavam a pé ou a cavalo.

O pai de Matisse, Émile Hippolyte Matisse, era um comerciante de grãos cuja família era de tecelões. Sua mãe, Anna Heloise Gerard, era filha de uma longa linha de curtidores. Afetuosa, extrovertida, capaz e enérgica, ela era pequena e resistente, 
constituia a figura elegante do período: seios fartos e quadris, cintura estreita, tornozelos delineados e elegantes pés pequenos. Ela tinha pele clara, as maçãs do rosto largos e um sorriso largo. "Minha mãe tinha um rosto com características 
generosas", disse seu filho Henri, que sempre falava dela com especial ternura da sensibilidade. Ao longo dos 40 anos de seu casamento, ela prestou apoio inabalável, pétrea ao seu marido e seus filhos. Matisse disse mais tarde: "Minha mãe adorava tudo o que fiz." Ele cresceu na vizinha Bohain-en-Vermandois, um centro têxtil industrial, até dez anos de idade, quando seu pai o enviou para St. Quentin para o liceu.

Anna Heloise trabalhou duro. Ela correu a seção da loja do seu marido que vendia tintas para imóveis, fazendo os pedidos dos clientes e aconselhando sobre esquemas de cores. As cores, evidentemente, deixaram uma impressão duradoura sobre Henri. 
O próprio artista disse mais tarde que ele tem o seu sentido de cor de sua mãe, onde era ela mesma uma pintora em porcelana, uma forma de arte em moda na época. Henri foi o primeiro filho do casal.

O jovem Matisse era um jovem estranho que parecia mal adaptado aos rigores do Norte, em particular, ele odiava os invernos gélidos. Ele era uma criança pensativa e por sua própria conta um sonhador, frágil e não excepcionalmente brilhante. Mais 
tarde na vida, ele nunca perdeu seu sentimento para sua terra natal, para as sementes e as coisas que crescem, ele havia encontrado sua juventude. 

As memórias de infância de Matisse foram de uma educação severa. "Seja rápido!" "Olhe!" "Corra junto!" foram os refrões que ressoaram em seus ouvidos como um menino. Nos anos posteriores, quando a própria sobrevivência dependia de hábitos de 
poupança e abnegação, o artista se orgulhava de ser um homem do Norte. Quando Matisse por sua vez, teve seus próprios filhos para educar, ele repreendeu a si mesmo por qualquer lapso na disciplina ou exposição aberta de ternura como fraqueza de sua parte.

A descoberta da verdadeira profissão de Matisse surgiu de uma maneira incomum. Na sequência de um ataque de apendicite, ele começou a pintar em 1889, quando sua mãe lhe trouxe o material necessário, durante o período de convalescença. Ele disse 
mais tarde: "A partir do momento que eu segurava a caixa de cores em minhas mãos, eu sabia que era a minha vida. Atirei-me para ele como um animal que mergulha para a coisa que ele ama. "A mãe de Matisse foi a primeira a aconselhar o filho a não aderir às" regras "de arte, mas sim ouvir suas próprias emoções. Matisse foi tão comprometido com sua arte que ele enviou um recado para sua noiva, Amélie Parayre, a quem se casou mais tarde: "Eu te amo muito, mademoiselle; mas eu sempre amo 
pintar mais. "Matisse havia descoberto" uma espécie de paraíso ", como ele mais tarde descreveu. Sua mudança drástica de profissão decepcionou profundamente seu pai.

Dois anos mais tarde, em 1891, Matisse voltou a Paris para estudar arte na Académie Julian e se tornou um estudante de William-Adolphe Bouguereau. Depois de um ano desanimador na Académie Julian, ele deixou, desgostoso com o estilo excessivamente perfeccionista de ensinar lá. Depois disso, ele treinou com Gustave Moreau, um artista que alimentou tendências mais progressistas. Em ambos os estúdios, como era de costume, os alunos faziam estudos de figura. De Bouguereau, ele aprendeu as lições fundamentais da pintura clássica. Matisse estava destinado, em certo sentido, para 
continuar a ser um "pária" do mundo da arte. Inicialmente, ele falhou em seu exame de desenho para admissão na École des Beaux-Arts, mas persistiu e foi finalmente aceito.

Matisse começou a pintar naturezas-mortas e paisagens no estilo flamengo tradicional, em que ele alcançara proficiência razoável. A maioria de suas primeiras obras empregam uma paleta escura e tendem a ser sombrio. 



Henri Matisse - Mulher lendo, 1894 Óleo sobre tela 61.6 x 47.9 cm Museum of Modern Art in Paris

Em 1896, Matisse foi eleito como membro associado da Société Nationale, o que significava que a cada ano que ele podia mostrar pinturas no Salon de la Société sem ter que submetê-las para avaliação. No mesmo ano, ele exibiu cinco pinturas no 
salão da Société Nationale des Beaux-Arts, e o estado comprou duas de suas pinturas. Este foi o primeiro e quase único reconhecimento que recebeu em seu país natal durante sua vida. Em 1897 e 1898, ele visitou o pintor John Peter Russell na 
ilha Belle Île ao largo da costa da Bretanha. Russell apresentou-o ao impressionismo e ao trabalho de Van Gogh que tinha sido um bom amigo de Russell, mas era completamente desconhecido na época. O estilo de Matisse mudou completamente, "Russell explicou a teoria da cor para mim." 

A mesa de jantar (1897)

Henri Matisse - A mesa de jantar, 1897

A mesa de jantar (1897) foi a primeira obra-prima de Matisse, onde ele passou o inverno inteiro trabalhando na obra. Embora o Salon exibida a peça, eles penduraram o trabalho em um local pobre, revoltados com o que consideravam seus aspectos 
impressionistas radicais.

Brittany (Boat) (1896)

Henri Matisse - Brittany (Boat) (1896)

Matisse interessa-se pelo impressionismo, de pinceladas rápidas e espontâneas. Os tons de suas primeiras obras ainda são bastante fechados. 



Henri Matisse - 1900 Óleo sobre tela 64 x 54 cm. Private Collection

Nude with a White Towel (1902-1903)

Henri Matisse - Nude with a White Towel (1902-1903)

Influenciado pelo trabalho dos pós-impressionistas, Matisse começa utilizar cores mais vivas, dispostas de modo arbitrário.



Henri Matisse - Femme au chapeau 1905, 80.65 cm x 59.69 cm Óleo sobre tela Collection SFMOMA

Alegria de Viver (1905-1906)

Henri Matisse - Alegria de Viver (1905-1906)

Matisse pintava sobre os prazeres da vida, com imagens esquemáticas e decorativas. Neste quadro, a escala e perspectiva mostram-se distorcidas, as áreas de cor são planas, e as formas, simplificadas. 

Nu Azul (Retrato de Madame Matisse (1905)

Henri Matisse - Nu Azul, óleo sobre tela 40.5 x 32.5 cm. (Retrato de Madame Matisse (1905) Statens Museum for Kunst, Copenhagen.


Matisse elegia a cor como principal forma de expressão. A obra “Retrato de Madame Matisse” foi exposta no Salão de Outono de 1905, marco inicial do fauvismo. 

Alegria de viver - 1905-06 ; Oleo sobre tela, 175 x 241 cm (69 1/8 x 94 7/8 in); Barnes Foundation, Merion, PA

Henri Matisse - Alegria de viver - 1905-06 ; Oleo sobre tela, 175 x 241 cm (69 1/8 x 94 7/8 in); Barnes Foundation, Merion, PA

Matisse pintava sobre os prazeres da vida, com imagens esquemáticas e decorativas. Neste quadro, a escala e perspectiva mostram-se distorcidas, as áreas de cor são planas, e as formas, simplificadas.

Nu Azul (Souvenir of Biskra) (1907)

Henri Matisse - Nu Azul (Souvenir of Biskra) (1907)

Matisse equilibrava referências clássicas e composições ordenadas a uma postura expressiva e moderna. O tema do nu feminino em um ambiente oriental já havia sido utilizado por pintores do século XIX, como Ingres e Delacroix. Matisse, no entanto, apresenta um espaço ambíguo e distorções no corpo da mulher, destituindo-a de sua carga erótica. 

Algerian Woman (1909)


Henri Matisse - Algerian Woman (1909)

Buscando inspiração, Matisse realizou inúmeras viagens. Conheceu a Argélia, Itália, Alemanha, Marrocos, Rússia, Estados Unidos, Taiti, Espanha e Marrocos, dentre outros. Acreditava que o contato com outras culturas enriquecia o repertório do artista. A arte islâmica, principalmente, exerceu profunda influência sobre Matisse. 

Studio, Quay of Saint-Michel (1916):

Henri Matisse - Studio, Quay of Saint-Michel (1916):

Após a dispersão do grupo fauvista, a pintura de Matisse torna-se mais austera, com linhas retas e formas geométricas. O artista sofre influência do movimento cubista.

Interior Vermelho, Natureza-Morta Sobre Mesa Azul (1947)

Henri Matisse - Young Woman at the Window, Sunset (1921)

Na década de 20, Matisse distancia-se das tendências cubistas, em obras cada vez mais livres. Pinta principalmente mulheres, em retratos e nus. Matisse torna-se um mestre da linha curva, o que pode ser constatado em seus desenhos firmes e sensíveis.

 Interior Vermelho, Natureza-Morta Sobre Mesa Azul (1947)

Henri Matisse - Interior Vermelho, Natureza-Morta Sobre Mesa Azul (1947)

Matisse jamais perdeu a vitalidade e o encanto pela cor. Neste quadro, todos os elementos estão na superfície, sem ilusão de profundidade ou qualquer esforço naturalista.

Blue Nude, Sunset (1952)

Henri Matisse - Blue Nude, Sunset (1952) Tinta guache e recortes de papel  115.5 x 76.3 cm. Coleção particular.

Em seus últimos anos de vida, Matisse desenvolve uma técnica de colagem, que chama de “pintura com tesouras”. As obras, de grande poder gráfico, são realizadas com o auxílio de assistentes, já que Matisse se encontra com a saúde bastante debilitada.

Veja na Wikiart.org  495 pinturas de Matisse