Fauvismo

 

Apresentação Web realizada para a disciplina de 
Iconologia II 

UFPEL


 


     

 

 

 

 


Henri Manguin


Henri Charles Manguin foi um pintor francês nascido em Paris dia 23 de março de 1874 e morreu em Saint-Tropez 25 de setembro de 1949 em sua casa no Oustalet. Ele foi um dos principais criadores do fauvismo francês em 1905.. Aos 20 anos já estava inscrito na Escola de Belas-Artes de Paris, onde assistia às aulas de Gustave Moreau, e fez amizade com os pintores Matisse, Rouault e Marquet. Sua primeira exposição foi coletiva, na galeria do renomado Berthe Weill. Três anos depois, em 1902, participou do Salão dos Independentes e em 1903 no dos Autônomos.


Henri Manguin - The Prints – 1905 Óleo sobre tela - 81 x 100 cm Museo Thyssen - Bornemisza

Em 1899 ele se casou com Jeanne Carette quem teve três filhos, expõe a B.Weill Gallery e da Sociedade Nacional. Em 1904, ele descobriu Saint-Tropez e liga-se com Signac. Expôs no Salon d'Automne, nos Estados Unidos e na Bienal de Veneza. Ambroise Vollard compra 150 pinturas e em uma exposição especial na Galerie Druet em 1906, ele se tornou amigo de Henri-Edmond Cross, viajou para a Itália e expôs em Zurique e Bucareste. Em 1909 mudou-se para Neuilly e participa de uma exposição coletiva na Rússia. Ele permanece em Honfleur Félix Vallotton, onde conhece colecionadores suíços, Hahnloser. Ele atribui Sanary verão, onde muitas vezes ele vê Henri Lebasque e exibido em Berlim. Ele vive em Lausanne durante a guerra de 1914-1918. Em 1924, ele participou do projeto do futuro Museu da Anunciação a St. Tropez. Exposição na galeria Bing em 1927. Em 1938, Eugène Druet Gallery fecha seu filho comprou o Manguin vender destrói oito e exposições em todo o mundo. Ele alugou um estúdio em Avignon em 1942. 


Henri Manguin - The 14th of July at St. Tropez (1905)

Fez várias viagens pela França e em 1908 começou a trabalhar como professor na Academia Ranson, que abandonou ao viajar para Nápoles com Marquet. De tempos em tempos ia para Saint-Tropez, que depois acabou sendo seu local de residência definitivo.

Esse pequeno povoado de pescadores tinha sido descoberto pelo pintor Signac, que hospedava em sua casa à beira-mar outros pintores e amigos. A luz e o colorido da natureza local eram os elementos ideais para um pintor como Manguin poder dar forma a suas inquietações coloristas. A exemplo de seus colegas fauvistas, este pintor se caracterizou por uma paleta de cores intensas, beirando a violência cromática.

Está entre suas obras mais conhecidas O 14 de Julho em Saint-Tropez (1905), hoje exposta na Fundação Manguin.